Qual a maneira mais saudável e eficiente de clarear os dentes?

Os tratamentos para clarear os dentes não são poucos: fitas, soluções para bochecho, gel e pastas vendidas nas farmácias, tratamentos feitos em consultório e moldes adquiridos no dentista para serem usados em casa. Todos esses métodos funcionam, embora alguns exijam paciência, e outros, resistência à dor. Além disso, os resultados são apenas temporários.

Os procedimentos de clareamento oferecidos pelos dentistas tendem a ser mais rápidos que os vendidos nas farmácias, pois possuem altas concentrações de peróxido de hidrogênio, um agente descolorante presente em muitos clareadores. A probabilidade de ocorrência de efeitos colaterais, como sensibilidade dos dentes e irritação da gengiva, aumenta com o aumento da concentração da substância.

Os tratamentos mais agressivos não são necessariamente os mais eficientes. Um experimento randomizado com 90 pacientes descobriu que o clareamento feito em casa com moldes e gel com concentração de 10% de peróxido de carbamida e duração de duas semanas ofereceu o mesmo grau de clareamento que duas aplicações no dentista com concentração de 35% de peróxido de hidrogênio e feixe de luz – usado por alguns profissionais por causa de sua suposta capacidade de ativar os agentes clareadores.

Alguns dentistas também usam calor ou lasers para ativar os agentes clareadores. Todavia, uma análise sistemática de evidências publicada em 2007 no periódico “Dental Materials” não encontrou benefícios extras para o uso de calor, luzes ou lasers e sugeriu que esses métodos “talvez gerem efeitos colaterais para a polpa” – o tecido macio que fica no interior do dente. Caso a polpa seja danificada, o dente pode precisar de tratamento de canal.

Também é possível que o calor e a fonte de energia ativadora desidratem os dentes, fazendo com que pareçam mais brancos. O dente pode demorar semanas para se reidratar e escurecer um pouco.

O dr. Ronald D. Perry, diretor do Centro Gavel de Estudos da Restauração, da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Tufts afirmou que, de um modo geral, “a ação da luz é nula, mas o marketing que exista por detrás é grande”.

Antes de um tratamento de clareamento, mesmo que feito em casa, é necessário que o dentista avalie se as obturações e coroas estão bem fechadas, para evitar reações de dor causadas pelo peróxido.

Em uma análise de estudos sobre clareamento dental realizada em 2014, o professor Clifton Carey da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Colorado avisou que as obturações que são feitas da cor do dente podem ficar mais amareladas e permanecer assim após o uso de clareadores caseiros. A cor dos dentes também pode destoar se eles ficarem mais brancos que a obturação.

Nem todas as manchas são iguais. Elas podem ser causadas por fatores externos: substâncias como vinho, café, Coca-Cola e fumo e o clareamento é eficaz nesses casos. O envelhecimento é outro culpado, uma vez que o esmalte fica gasto e a dentina, que é mais amarelada e está sob ele, torna-se visível. O clareamento também funciona nos dentes envelhecidos.

Infelizmente, é difícil determinar a duração dos resultados de um clareamento. Os dentes de uma pessoa que fez clareamento e toma vinho tinto todas as noites pode voltar a manchar em um ou dois meses.

Fonte: www.uol.com.br