Hapvida compra plano de saúde

Além de adquirir o Hospital Luís França, o que havia sido revelado no último sábado, Hapvida também comprou o plano de saúde.O plano de saúde infantil Luís França foi comprado pela operadora cearense Hapvida – que também comprou o Pronto Socorro Infantil Luís França, localizado na avenida Heráclito Graça. Com a aquisição, o Hapvida irá incorporar os 4.883 beneficiários do Luís França, e alcançará 3.073.517 de clientes, conforme dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O Hospital Luís França atende a beneficiários de vários planos de saúde, mas não aos do Hapvida. O atendimento aos beneficiários do plano deve começar na segunda quinzena deste mês, quando o sistema terminar de ser instalado, conforme explicam atendentes do hospital quando questionados por clientes.

Depois da compra, caso o hospital solicite ser excluído da rede de atendimento de algum plano de saúde, o procedimento deverá ser comunicado pela operadora do plano em questão a ANS, com comprovação de que a rescisão foi iniciativa do hospital. A operadora também terá que garantir a manutenção da assistência junto aos demais estabelecimentos da rede, segundo explica em nota a ANS.

Já o descredenciamento do hospital por iniciativa da operada só poderá ser efetuado se ela o substituir por outro equivalente, também devendo comunicar a mudança aos consumidores e à ANS com 30 dias de antecedência.
Mas se a operadora optar por descredenciar um hospital por redução, ou seja, sem substituí-lo por outro equivalente, só poderá efetivar e comunicar a redução da rede hospitalar aos beneficiários após análise e autorização da ANS.
“Toda a análise de descredenciamento deve levar em conta o impacto da exclusão da entidade hospitalar, como a quantidade de leitos, serviços de urgência e emergência 24 horas e serviços auxiliares de diagnóstico e terapia”, diz a ANS em nota.
O Hapvida comprou apenas o Hospital da Heráclito Graça, que pertencia ao médico João França. O Sopai – antigo Luís França da av. Francisco Sá – continua com os mesmos donos.
Plano Luís França

Com relação aos beneficiários do Luís França, que foram incorporados ao Hapvida, a ANS assegura a manutenção das datas de consultas já agendadas; das condições vigentes dos contratos, sem restrição de direitos; a não imposição de carências adicionais, além do seguimento das cláusulas de reajuste e data de aniversário dos contratos.

O Hapvida ainda tem obrigação de divulgar um canal de atendimento ao consumidor, para esclarecer dúvidas, e manter a rede credenciada. Se houver alguma alteração, a operadora deverá enviar carta aos consumidores com 30 dias de antecedência, substituindo o prestador por outro equivalente. Novas carteiras de identificação deverão ser enviadas aos clientes, assim como os boletos de pagamento.

Fonte: OPovo